JooMix Joomla

Engenharia Clínica

Assistência Técnica Ultassom

A Engenharia Clínica visa padronizar e implantar os serviços operacionais, dando suporte às equipes médicas e de enfermagem, proporcionando desta forma o funcionamento unidirecional do Parque Tecnológico em busca da excelência e qualidade dos serviços de saúde. A Implantação do Serviço de Engenharia Clínica compromete-se a executar a manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos, gerenciar os serviços técnicos de aferição e acompanhar a manutenção preventiva e corretiva de contratos terceirizados, assessorar a direção hospitalar e informatizar o Parque Tecnológico através de um Sistema de Informação (SI).


ENGENHARIA CLÍNICA

Gerenciamento e manutenção do parque tecnológico em equipamentos médico-hospitalares, tornando-se essencial para garantir a operacionalidade e qualidade no funcionamento e manutenção dos equipamentos.

A realização deste serviço proporciona, além de outras competências, o controle do inventário de equipamentos médico-hospitalares (EMH), medidas preventivas e corretivas que se façam necessárias para maior conservação e operacionalidade dos equipamentos colocando-os em conformidade com as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e do INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial), oferecendo suporte técnico especializado e informatizado às equipes médicas e de enfermagem buscando sempre um serviço qualificado e especializados de gerenciamento e manutenção do parque tecnológico em equipamentos médico-hospitalares, tornando-se essencial para garantir a operacionalidade e qualidade no funcionamento e manutenção dos mesmos.

Estes serviços proporcionam, além de outras competências, o controle do inventário de equipamentos médico-hospitalares (EMH), medidas preventivas e corretivas que se façam necessárias para maior conservação e operacionalidade os colocando em conformidade com as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e do INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial), oferecendo suporte técnico especializado e informatizado às equipes médicas e de enfermagem buscando sempre um serviço qualificado.


MANUTENÇÃO PREVENTIVA

A manutenção preventiva em equipamentos médicos é realizada para manter o equipamento e prolongar sua vida útil. O principal objetivo da manutenção preventiva em equipamentos é evitar ou atenuar as conseqüências das falhas. Isso pode ser feito impedindo a falha antes que ela ocorra realmente. A manutenção preventiva é planejada para preservar e restaurar a confiabilidade do equipamento, substituindo os componentes desgastados antes que eles realmente se desgastem. As atividades de manutenção preventiva em equipamentos incluem revisões parciais ou totais em períodos específicos, mudanças de óleo, lubrificação e assim por diante. Além disso, pode-se registrar a deterioração dos equipamentos para que as peças desgastadas sejam reparadas ou substituídas antes que causem desgastes ou falhas do sistema do equipamento. O programa de manutenção preventiva ideal seria evitar qualquer falha do equipamento antes que ela ocorra.


MANUTENÇÃO CORRETIVA

A manutenção corretiva é o tipo de manutenção mais antiga e mais utilizada, sendo empregada em qualquer ambiente que possua itens físicos, qualquer que seja o nível de planejamento de manutenção. Segundo a Norma NBR 5462 (1994), manutenção corretiva é “a manutenção efetuada após a ocorrência de uma pane, destinada a recolocar um item em condições de executar uma função requerida”. Em suma: é toda manutenção com a intenção de corrigir falhas em equipamentos, componentes, módulos ou sistemas, visando restabelecer sua função. Este tipo de manutenção, normalmente implica em custos altos, pois a falha inesperada pode acarretar perdas de produção e queda de qualidade do produto. As paralisações são quase sempre mais demoradas e a insegurança exige estoques elevados de peças de reposição, com acréscimos nos custos de manutenção.


OBJETIVOS

Estruturar o Departamento de Engenharia Clínica, estabelecendo programas de manutenção preventiva e corretiva.

Implantar um Sistema de Informação Gerencial informatizado, composto por base de dados e Sistema de Informação (SI), que compreenda o armazenamento de cadastro dos EMH do hospital, procedimentos documentados para exercerem completa gerência sobre o parque de EMH e com obtenção de indicadores de desempenho. Com profissionais treinados capazes de gerir as informações dos processos operacionais/administrativos, apresentar soluções para os problemas técnicos em equipamentos médico-hospitalares e saber aplicar os conhecimentos de Engenharia Clínica a fim de obter resultados melhores.

  • 1. Implantação de Serviço da Engenharia Clínica.
  • 2. Inventário, Cadastro e Etiquetagem dos Equipamentos.
  • 3. Coordenação dos programas de Manutenção.
  • 4. Consultoria na Incorporação Tecnológica.
  • 5. Análise da Tecnologia.
  • 6. Aquisição de novas tecnologias.
  • 7. Compatibilização de Tecnologia.
  • 8. Especificações.
  • 9. Treinamentos de Usuários.
  • 10. Contratos.
  • 11. Implantação e assessoria de almoxarifado clínico.
  • 12. Gerenciamento de Risco.
  • 13. Manutenção Civil Hospitalar.
  • 14. Manutenção Elétrica Hospitalar.
  • 15. Gerenciamento de Obras e Reformas.
  • 16. Sistema de Energia Auxiliar.
  • 17. Acreditação do Serviço da Engenharia Clínica.

Atuar sobre todos os equipamentos médico-hospitalares inoperantes de modo a resolver os problemas de baixa e médica complexidade dentro do menor espaço de tempo.

Atualizar periodicamente todos os equipamentos médico-hospitalares (EMH) disponíveis no hospital, identificando em detalhes os dados do equipamento, sua localização física, estado operacional e seu histórico de aquisição.

Acompanhar os serviços terceirizados registradas em formulário de acompanhamento próprio, objetivando um melhor controle e desempenho destes serviços, além de assessoramento para a contratação de outros serviços especializados

Avaliar a consistência técnica e os custos das propostas oferecidas pelos prestadores de serviços quando realizado reparo de EMH, através de orientações técnicas e estudos de viabilidade econômica.

Os serviços técnicos programados de aferição e calibragem, que por sua natureza acarretarem a paralisação dos equipamentos, deverão ser executados em dias e horários não coincidentes com o expediente dos setores, acordados pelos responsáveis da área.

Executar a manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos médico-hospitalares de baixa e média complexidade. A manutenção preventiva de EMH deverá ser realizada com base em “check list” técnico adequado às características dos equipamentos e atendendo recomendações técnicas de manuais especializados, ou aqueles julgados pela direção da Unidade como essenciais à realização das atividades fim da Unidade.

Assessorar à direção na avaliação da obsolescência e/ou alienação dos equipamentos médico-hospitalares, emitindo parecer técnico, baseado em inspeção técnico-operacional, histórico de falhas, e etc.

Apresentar cronograma de atividades, planos de trabalho, rotinas de manutenção preventivas e corretivas, apropriadas às respectivas operações, que deverão ser pactuados mutuamente. Mensalmente, ou sempre que solicitados, apresentar relatórios gerenciais que contemplem indicadores de desempenho como: custo de reparo, custo de contrato de manutenção e resolução total das OS abertas no período.

Implementar ações gerenciais baseadas em dados históricos, objetivando melhorias de qualidade e redução dos custos.

Realizar treinamentos aos usuários/operadores em relação aos procedimentos funcionais dos equipamentos, visando estabelecer rotinas para aumentar a vida útil destes.

Acompanhar e avaliar itens como: custo, tempo de atendimento a OS, tempo de parada dos EMH submetidos a reparo, e outros.

Fornecer partes, peças, insumos e materiais para operacionalização e manutenção dos EMH até valores mensais pré-definidos, e também, contratação de alguns serviços, desde que estes tenham o consentimento e a autorização prévia da Direção, cujo valor aplicado deverá ser pago no período.

Agilizar o processo de compra e informar a previsão de entrega do material. O relatório mensal final de prestação de contas será apresentado em forma de planilha contendo as informações: número de OS (Ordem de Serviço), descrição do equipamento, cadastro, patrimônio, descrição dos serviços, descrição da peça aplicada, quantidade aplicada do item, número da nota fiscal de compra da peça, razão social da nota fiscal de compra, custo unitário da peça, valor aplicado na OS e valor total aplicado no período.

Elaborar projetos básicos para a contratação de serviços de reparo e para contrato de manutenção preventiva e corretiva, incluindo a realização da pesquisa de preços com parecer técnico-financeiro da contratada para as propostas ofertadas.

Assessorar a direção na elaboração de especificação técnica de EMH pra fins de aquisição e/ou locação de equipamentos médico-hospitalares, considerando as exigências estabelecidas antes e após a aquisição destes.

Promover melhorias e atualização tecnológica no sistema informatizado e no processo de gerenciamento de equipamentos e incorporação de tecnologias, sempre que identificada à oportunidade de prover melhores resultados pela gerência de Engenharia Clínica da Unidade Hospitalar.

Obedecer rigorosamente a disciplina interna das Unidades, no que visar, circulação de pessoas, entrada e saída de bens e equipamentos e outros.

Disponibilizar profissionais técnicos e administrativos, em período integral comercial, todos treinados para exercerem as atividades de gerenciamento e assistência técnica nos equipamentos médico-hospitalares. Em regime de sobreaviso, disponibilizar uma equipe para atender a quaisquer chamados de emergência fora deste horário, sem exceção de sábados, domingos e feriados. Mantendo um controle de freqüência no local do trabalho, além de possuir equipe técnica de apoio coordenada por engenheiro supervisor de todo o serviço.


METAS

Executar a manutenção corretiva em equipamentos médicos com indicador de resolutividade superior a 65%, a partir do final do primeiro bimestre do início da vigência do contrato, e superior a 70%, a partir do final do segundo bimestre do início da vigência do contrato. Os itens que não possuírem tombamentos não serão considerados equipamentos e sim acessórios, e devem ser gerenciados separadamente. Nos casos de defeitos em acessórios de equipamentos (ex.: placa de bisturi, cabos e manguitos de monitores multi-parâmetros), a ordem de serviço deve ser aberta para o acessório e não para o equipamento.

Executar a manutenção preventiva continuada em equipamentos de baixa e média complexidade técnica dos setores das unidades.

Apresentar o indicador Tempo Médio de retorno inferior a 10 dias.

Executar o gerenciamento informatizado de equipamentos médico-hospitalares, constando, além do sistema informatizado, elaboração de cronogramas de manutenção e projetos básicos, assessoria para incorporação tecnológica e treinamento de operadores de equipamentos médico-hospitalares.

Redução do número de chamadas técnicas externas (empresas), em razão de: a) aumento da resolutividade interna para cerca de 70 a 80% das Ordens de Serviço, ou seja, com o nosso próprio staff técnico sem necessidade de chamar empresas, b) implantação de rotinas de manutenções preventivas, preditivas e detectivas, c) controle de qualidade e d) treinamento dos usuários para operação dos EBs – Equipamentos Biomédicos.

Redução do tempo médio para reparos (MTTR – Medium Time To Repair) dos EBs – Equipamentos Biomédicos, com atendimento mais rápido no próprio local, acompanhamento e fiscalização dos encaminhados a terceiros.

Aumento do tempo médio entre as paradas por falhas e defeitos (MTBF – Medium Time Between Failures), aumentando a disponibilidade de uso e reduzindo o lucro cessante do parque instalado.

Aumento da produtividade operacional em função do controle de qualidade, com equipamentos aferidos, calibrados e treinamento para operação.

Análise e avaliação de propostas de reformas e serviços corretivos nos equipamentos e instalações.

Análise, avaliação, acompanhamento e fiscalização dos serviços, dos contratos de manutenção, otimizando a relação custo-benefício.

Gerenciamento informatizado das ordens de serviços, gerando documentação com memória técnica, custos, etc.

Aumento da vida útil do parque instalado.

Maior segurança dos equipamentos e instalações auxiliando na Tecno-vigilância e na aplicação das tecnologias ao paciente.

Respaldo legal quanto a Responsabilidade Técnica, em caso de acidentes e falhas.

Intercâmbio com outras instituições e órgãos que mantemos contratos ou serviços de gerenciamento e manutenção.

Remanejamento de mão de obra qualificada para solução de problemas específicos ou em função da demanda, devido à experiência e competência de nosso staff de engenheiros e técnicos atuando em outros clientes.

Controle sempre atualizado de todo o patrimônio de tecnologias, com o acompanhamento de todo o ciclo de vida, desde sua aquisição, instalação e utilização, até suas manutenções, custos, localização, reformas, transferências e alienação.

Relatórios técnico-administrativos para avaliação de resultados, resposta em tempo, produtividade, marcas, equipamentos, empresas, setores, departamentos, tecnologias em fase de obsolescência, etc.

Com o gerenciamento tecnológico e manutenção, reduções de 30 e até 40% nos custos de manutenção de equipamentos.

Estudos de obsolescência e especificação de novos equipamentos, consultoria e assessoria no planejamento tecnológico e de infraestrutura predial, instalações elétricas e de gases medicinais.

Com a implantação dos conceitos e metodologias de trabalho da Engenharia Clínica, resultando em rotinas documentadas para instituição, estaremos propiciando o atendimento de exigências da ANVISA e facilitando certificações como ISO 9000 e Acreditação Hospitalar.


ASPECTO LEGAL

O principal aspecto legal é o de responsabilidade civil concernente a acidentes ou falhas de equipamentos e instalações. O CONFEA - Conselho Federal de Engenharia, através dos CREAs – Conselhos Regionais de Engenharia, obriga que os Hospitais tenham Engenheiros Eletricistas ou Eletrônicos e Mecânicos, como “Responsáveis Técnicos” de manutenção dos equipamentos biomédicos, demais equipamentos e instalações elétricas e mecânicas. Portanto, com as nossas atividades implantadas, o Hospital estará respaldado em relação à Responsabilidade Técnica, e ainda estará, através de um sistema informatizado, se documentando (histórico, memória técnica, laudos, etc. dos equipamentos e instalações) para se precaver em situações de incidentes, acidentes e falhas.


DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS

Levantamento, cadastramento e etiquetagem (se necessária) dos equipamentos;

Implantação do Serviço de Engenharia Clínica, com engenheiros, técnicos, auxiliares administrativos, etc.;

Instalação do Sistema para Gerenciamento de Equipamentos e Manutenção;

Instalação do Sistema para Gerenciamento de Equipamentos e Manutenção;

Cadastramento no Sistema para Gerenciamento de Equipamentos e Manutenção (digitação) de setores, departamentos, usuários, áreas de serviços, nomenclaturas e marcas;

Cadastramento dos fornecedores, equipamentos, contratos e serviços gerais;

Emissão e controle das ordens de serviços tanto para serviço interno, externo, contrato ou garantia, para manutenção de equipamentos e manutenção geral;

Análise dos contratos de manutenção existentes para renegociação ou renovação;

Acompanhamento e fiscalização dos serviços encaminhados a outras empresas ou cobertos por contratos de manutenção;

Diagnóstico tecnológico da instituição, apontando as necessidades de mudanças técnico-administrativas, renovações tecnológicas, reformas de equipamentos, transferências, etc.

Levantamento das rotinas de manutenção preventiva, segurança e controle de qualidade dos equipamentos.

Implantação das rotinas preventivas dos equipamentos e controle de qualidade.

Consultoria/Gerenciamento das tecnologias de saúde em todos os seus níveis: planejamento, aquisição, incorporação, instalação, operação, treinamento, manutenção, transferência, obsolescência, renovação e alienação.

MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS MÉDICO-HOSPITALARES
GOIÂNIA - GOIÁS

 


0800 887 1690

(62) 3110 5757

FALE DIRETO COM O TÈCNICO

WHATSAPP: 62 9 9952-4777



EMAIL


Horarios

Seg. a Sex. (08:00 - 18:00)

Sab. (08:00 - 12:00)

Contato

Teknika Biomédica
Av. T-8, 478 - Setor Bueno - Goiânia
74.210-270 - Goiás

Telefones

(62) 3110 5757

Atendimento Nacional